Qual a diferença entre endividamento e estratégia de financiamento?

30/12/14

Como financiar a empresa é pergunta constante de qualquer executivo ou empreendedor. Esta é uma questão básica, pois toda empresa precisa de recursos, essencialmente para três pontos: financiar o dia a dia de suas operações, fazer investimentos buscando a expansão, melhoria e transformação de seus processos e produtos, além de remunerar o acionista.

Neste momento de transição que o Brasil está vivendo, esta questão fica ainda mais importante. Nos últimos meses a trajetória tem sido de crescimento da taxa de juros básica, o que inevitavelmente leva a um cenário de elevação de custo para o financiamento das empresas.

As fontes de capital para financiar a empresa podem vir de recursos dos sócios, da sua capacidade de geração de caixa ou de capital de terceiros. Recorrer a capital de terceiros, através de endividamento obtido em linhas de empréstimo / financiamento, é uma forma de preservar o caixa para o acionista ou de antecipar recursos caso a empresa em um determinado período não tenha caixa suficiente para se financiar. Em ambos os casos, é fundamental avaliar a capacidade no curto e médio prazo de honrar os compromissos assumidos.

A capacidade de honrar os compromissos depende de diversos fatores, dentre eles a lucratividade e a estrutura de capital da empresa. Neste sentido, dois indicadores podem ajudar nesta tarefa: o custo da dívida sobre o lucro bruto e o endividamento total sobre o EBITDA. Monitore atentamente estes indicadores. Se o custo da dívida está aumentando em relação ao lucro bruto, significa que a despesa financeira está afetando negativamente a lucratividade da empresa. Se o endividamento cresce em relação ao EBITDA significa que a empresa está reduzindo sua capacidade de quitá-lo.

Parte do comportamento destes indicadores está relacionada às condições de negociação com os bancos financiadores, por exemplo, ao se estabelecer qual será a taxa de juros, prazos de carência e de amortização dos recursos obtidos. Já outra parte significativa que afeta estes indicadores está relacionado ao lucro bruto gerado pela empresa, que é diretamente influenciado pela sua capacidade em construir um mix de produtos que seja rentável. Não é possível tomar uma decisão de endividamento sem considerar a estratégia de todo o negócio.

A construção da estratégia do negócio, específico para cada empresa, é uma das diferenças entre as endividadas e que não conseguem honrar seus compromissos e crescer, de outras que, além de operar com lucratividade, são capazes de desenvolver iniciativas de expansão, melhoria e transformação de forma sustentável. A capacidade de enxergar a estratégia de financiamento não como fim, mas como meio de alavancar a empresa, é um dos elementos que precisa estar integrado à estratégia do negócio das organizações.

Clique aqui para fazer o download do ensaio em PDF.